Vou esquecer o meu passado

De vida eu vou mudar
Procurar ser mais feliz
Correr pular e saltar
As agruras da minha vida
A todas irei enfrentar
Vivendo de bem com a vida
Correr saltar e pular
Não me faz falta nenhuma
O passado é para esquecer
Sempre a pular e a saltar
Com muita alegria vou viver
E quando estiver cansado
De tanto pular e saltar
Descansarei um pouco
Até o amor encontrar
A minha vida vai ser vivida
Com mais alegria e prazer
A correr saltar e pular
Vai ser sempre o meu viver
Vou de vida ter que mudar
O passado é para esquecer
Toca a correr pular e saltar
Com muita alegria irei eu viver
Podem pensar que sou tontinho
Por querer a minha vida mudar
Quero encontrar o amor
Sempre a correr pular e saltar
Às agruras da minha vida
Vou deixar de lhes ligar
Irei a todas elas esquecer
Sempre a correr e a saltar

De: António Candeias

Anúncios
Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário

Vida

Tantos caminhos já percorri
Estrada fora sempre a saltitar
Atravessei montes e serras
Sem nunca o amor encontrar
Quando a noite estava chegando
Abrigo eu procurava para ficar
O passado foi-se embora
Levo a vida a rir e a brincar
Dores já não existem
Somente vivo com alegria
Caminhando sem parar
Assim sou feliz dia a dia
Lágrimas que tanto correram
Não preciso mais de as esconder
Caminho procurando a felicidade
Saltitando com alegria de viver
Com tantos caminhos percorridos
Tantas serras e montes atravessei
Sempre a caminhar e saltitar
Até que o amor eu encontrei
Um amor que é só meu
Vivo este amor com paixão
Este meu grande amor
Está dentro do meu coração
De: António Candeias

Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário

Vida

A vida por mim passou
Nem dei por ela passar
Tenho comigo a solidão
Que ficou a me abraçar
Chora o meu coração
Não sinto já segurança
A vida por mim passou
Perdi de todo a esperança
De sonhos que sonhei
Só me resta é muita dor
Esperança a muito a perdi
Até de encontrar o amor
A vida por mim passou
Resta a dor do passado
Que não consigo esquecer
Depois de tanto ter chorado
Não sinto já segurança
Vivo dentro da escuridão
A vida por mim passou
Fiquei abraçado pela solidão
Vida que não dei por ela passar
Vou vivendo a vida á sorte
Perdi já de toda a esperança
Até ao dia que chegue a morte

De: António Candeias

Publicado em Sem categoria | Etiquetas | Publicar um comentário

Amor impossível

Mudaste a minha vida
Noites contigo a sonhar
Quero-me esquecer de ti
Porque não te devia amar
Como é difícil te esquecer
Este amor que teima ficar
Desde o dia em que te vi
Que logo me fui apaixonar
Tu que mudaste a minha vida
Como te queria ao meu lado
És o meu amor impossível
Por quem estou a apaixonado

De: António Candeias

Publicado em poemas de amor | Etiquetas | Publicar um comentário

Adeus meu amor

Se não te posso ter só minha
Que fosses de mim toda inteira
Que a mim só me amasses
Fosses só minha a vida inteira
Não vou amar assim uma mulher
Que por outros é repartida
Mas tu é isso que queres
Eu queria-te para toda a vida
Uma mulher que só me ame a mim
Seja minha amante e companheira
Não quero uma mulher repartida
Queria uma mulher para a vida inteira
Queria uma mulher que fosse só minha
Que não fosse com outros repartir
Como não é assim que tu queres
Digo-te adeus da tua vida vai sair
Já que não te posso ter só minha
Queria-te só minha por inteira
Que me amasses como te amo
Seres a minha companheira
Não te desejo mal e que sejas feliz
Como não te quero assim repartida
Despeço-me de ti levando esta dor
Adeus meu amor vai sair da tua vida
Vou-me embora da tua vida
No coração levo esta dor
Por não seres só minha
Dizendo-te Adeus meu amor

De: António Candeias

Publicado em poemas de amor | Etiquetas | Publicar um comentário

A Vida

A vida está a ensinar-me
Que tenho que entender as pessoas
Cada uma é diferente da outra
Está a ensinar-me
Que podemos amar e não sermos
Amados como amamos
Que amar traz-nos felicidade
Está a ensinar-me a ajudar
Aqueles que mais precisam
A rir mesmo quando o que sinto
Muito mais vontade de chorar
Para mostrar aos outros
Que a vida é para ser vivida
Está a ensinar-me que quando
A sofrer, estou a fortalecer
Está a ensinar-me a entender os outros
Que o caminho que faço é uma subida
Que tenho que chegar ao cimo
Para me sentir realizado
Está a ensinar-me que beleza
Está no coração
E não no rosto de cada um
Está a ensinar-me a desculpar
Os que se dizem amigos mas não o são
Nem sabem o que é ser amigo, nem o seu significado
Está a ensinar-me
Que para viver feliz tenho que amar
Abrir-me ao amor só assim ultrapassarei
Todas as dificuldades da vida
Está a ensinar-me a viver
Amar para poder também ser amado

De: António Candeias

Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário

Sou uma pessoa tímida

Sou uma pessoa bastante tímida
Que disfarça para ser diferente
Não consigo mostrar-me infeliz
Ao contrário de muita gente
A tristeza me tem acompanhado
A alegria já á muito me deixou
Toda agente me vê a rir
A tristeza ninguém perguntou
Pensam que a minha vida é bela
Só porque me vêm sempre sorrindo
Nem lhes passa pelas cabeças
Que sorrindo estou mentindo
Toda agente ri e se diverte
De verem a minha alegria
Se soubessem como sou triste
Em vez de tanto rir choraria
A ser uma pessoa bem tímida
Gosto da vida e de viver
De dar muita alegria a todos
Aconteça-me o que acontecer
As tristezas que são só minhas
Tenho-as muito bem guardadas
Aos outros quero vê-los felizes
Minhas tristezas ficam caladas
Sou uma pessoa bem tímida
Disfarço que sou diferente
Não mostrando que sou feliz
Como o faz por aí muita gente

De: António Candeias

Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário

Vida

A vida pode ser muito linda
Basta nós a querermos fazer
Não sendo um mar de rosas
Temos que saber com ela viver
A vida tem coisas ruins também boas
Para nos alegrar ou entristecer
Mas saibamos juntar tudo
Com alegria iremos viver
A vida não é um mar de rosas
Temos que contudo viver
Seja com o mau ou o bom
Com ela vivemos até morrer
Para que andarmos em guerras
Quando a vida são dois dias
Devemos alegrar nos todos
Espalhar pelo mundo só alegrias
Se conseguirmos estar sempre alegres
E a todos os outros levar alegria
O mundo ficará muito melhor
Mais saudável e em harmonia
A vida pode ser muito linda
Assim cada um faça a sua parte
Vivendo sempre com alegria
Levando-a para toda a parte
De: António Candeias

Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário

Vou tentar esquecer

Deixar que o tempo resolva
Este vazio que sinto
Que o passado se remova
Quando fecho os meus olhos
Sinto que estou na solidão
Não vou mais mentir a mim
A dor que tenho no coração
Vou tentar esquecer
O que é o meu sofrer
Vou dormir e sonhar
Esperar pelo amanhecer
Já deixei de ter o sorriso
E já parei de tanto chorar
A tristeza já a sei esconder
E até aprendi a dor a enganar
Vou ter que viver a vida
E o passado esquecer
Sonhar que vivo a vida
Até ao dia de eu morrer
Vou tentar esquecer
Deixar que o tempo resolva
Este vazio que sinto
Que o passado se remova
Fecho bem os olhos
Sinto que vivo bem na solidão
Não vou mais mentir a mim
A dor que tenho no coração
Vou tentar esquecer
O que é o meu sofrer
Vou dormir e sonhar
Esperar pelo amanhecer
Já deixei de ter o sorriso
E já parei de tanto chorar
A tristeza já a sei esconder
E até aprendi a dor a enganar
Vou ter que viver a vida
E o passado esquecer
Sonhar que vivo a vida
Até ao dia de eu morrer

De: António Candeias

Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário

A vida é uma luta

A vida é feita do que fazemos
Seja ele certo ou até errado
É no que tenhamos feito
Que enterramos o passado
Se julgarmos que fizemos tudo
Ou que já não temos mais nada
Para fazermos neste mundo
Seremos gente que ficou parada
Nunca penses que fizeste tudo
Continua sempre a sonhar
Aproveitando a gozar a vida
Luta até o sonho se realizar
Acredita que nesta vida
Nada nos irá ser oferecido
Temos que ir sempre á luta
Lutar até termos vencido
Luta sempre com alegria
Não penses mais em tristeza
Lembra-te do que já fizeste
Do que falta fazer com certeza
De tudo que tenhas já feito
Seja do certo ou do errado
Fazendo sempre o que quiseste
Mesmo o que não era desejado

De: António Candeias

Publicado em Poesia | Etiquetas | Publicar um comentário